terça-feira, 24 de maio de 2016

Bolani!

Being in a camp with "only" 200 refugees allows me to now them better, to know their names and medical conditions but also their past history and their future perspective. It allows me to make a better follow up of their medical needs, for instance with pregnant women (which we have at the camp) or with neurological/psychiatry issues (which we also have at the camp), along with chronical conditions or physical and mental disabilities and to keep record of everything and that's a good system. 
Being in a camp with "only" 200 refugees allows me to be spoiled with little gifts like this wonderful and really tasty Afghan Bolani! Yesterday I received 3, from 3 different families. It's so good to feel that they feel I am helping somehow! 

´
But right now with the evacuation of the Idomeni camp more people will probably be checking in the camp this week so we are getting ready for that, since at least 8400 refugees were in Idomeni and will be redistributed we may receive lots of people, despite the transfers we are already receiving from other camps because of medical conditions. 

-

Estar num campo com "apenas" 200 refugiados permite-me conhece-los melhor, saber os nomes deles e as condições médicas mas também perceber um bocadinho da história deles e das suas perspectivas futuras. Isso permite-me fazer um melhor "follow up" das necessidades médicas de cada um, principlamente no caso específico das mulheres grávidas (que temos no campo) ou dos problemas neurológicos/psiquiátricos (que também temos) ou de condições crónicas ou incapacidades físicas ou mentais e manter registos de tudo isso. 
Estar num campo com "apenas" 200 refugiados permite-me ser "mimada" e receber este tipo de prendas (ver imagem) enquanto trabalho, isto é um Bolani, comida típica Afegã e devo dizer que estava delicioso. Ontem recebi 3, de 3 familias diferentes... É tão bom sentir que eles sentem que os estou a ajudar de alguma forma.
Mas durante esta semana, com a evacuação do campo de Indomeni, provavelmente vamos receber no campo onde trabalhamos muitas pessoas, sendo que o campo de Indomeni tem pelo menos 8400 refugiados que precisam de ser transferidos, para além das transferências que já estamos a receber de outros campos para avaliar e acompanhar determinados casos médicos. 

Sem comentários:

Enviar um comentário