sexta-feira, 29 de julho de 2016

Back to the camp!

Two weeks after arriving in Greece for the second time, I still have no time to sit down and write.  I am not here to volunteer in the clinic this time but I am replacing Lisa, the camp manager, at Do Your Part while she visits her family. Hard job this one… how do you replace an irreplaceable person?When I left the camp, 200 people were living here now, the camp has outgrown itself and we have more than 550 residents and are faced with challenges every day.
The hope that I first saw is slowly fadding from being in the same situation over and over again, day after day and that resents on the environment of the camp. Having more people here made the residents turn into survival mode again, and who can blame them after all that they already faced? We still work on it, every day with love and willing and try to turn this place into a community and not only a waiting camp, us volunteers and the residents as well, and we will, with patience and hard work make this place a little bit better every day despite all the adversities and challenges!  
I was preparing to leave on August 3rd but how can I turn my back on this place and just go? I left with the feeling that I would definitely be back and now I stay with the feeling that I would never be able to completely leave.
If you are reading this and you are willing to volunteer please do it! We need you here, the residents need you here and even a small drop can make the Ocean bigger. 
I am also so thankfull for all the support messages I have been receiving and want to share one of them with you.




Duas semanas depois de chegar à Grécia pela segunda vez e ainda nem tive tempo de me sentar e escrever alguma coisa neste blog. 
Desta vez não estou aqui a trabalhar na clínica mas sim a substituir a Lisa, a manager do campo, o que é um trabalho bastante difícil… Como se substitui uma pessoa única? 
Quando deixei o campo, 200 pessoas viviam nele, neste momento a capacidade foi completamente excedida, temos mais de 550 residentes e enfrentamos muitos desafios a cada dia. 
A esperança que estava habituada a ver aqui transformou-se um pouco em desespero por estarem na mesma situação tanto tempo e nem sequer saberem quando algo vai mudar, o que se ressente no ambiente vivido. O facto de muito mais pessoas estarem aqui agora fez com que os residentes voltassem ao estado de alerta máximo e "modo de sobrevivência", e quem os pode culpar depois de tudo o que já viveram? Continuamos a trabalhar todos os dias, com amor e força de vontade para transformar este lugar numa comunidade e não apenas num “campo-de-espera”, nós voluntários e claro os residentes também e acredito que vamos, com todo o trabalho árduo, tornar este lugar um bocadinho melhor a cada dia apesar de todas as adversidades e desafios. 
Estava a preparar-me para deixar o campo a 3 de Agosto mas como posso virar as costas a isto e apenas ir? Fui embora com a sensação e que ia definitivamente voltar e agora fico com a sensação de que nunca serei capaz de partir inteiramente. 
Se por acaso tens vontade de te voluntariar por favor fá-lo! Precisamos de toda a ajuda aqui!
Estou também extremamente agradecida por todas as mensagens de força que tenho recebido e partilho uma delas na imagem acima. 

Sem comentários:

Enviar um comentário